Servidores da Coder paralisam na quinta-feira, e ameaçam entrar em greve por tempo indeterminado

0
1

foto002Os trabalhadores da Companhia de Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder), vão cruzar os braços na próxima  quinta-feira (08), o movimento é para chamar a atenção dos gestores da Coder, que neste final de ano fizeram cortes nos salários dos servidores da Companhia. A redução tirou a alegria do Natal e do Ano Novo dos trabalhadores, que tiveram reduções significativas em seus pagamentos.

Os cortes foram referentes ao anuenio,  insalubridade e periculosidade, entre outros assuntos. O anuenio foi retirado da folha desde o mês de maio de 2014.

foto001Na manhã desta terça-feira (06), o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rondonópolis (Sispmur), realizou assembleia geral com os servidores da  Coder, a reunião aconteceu no pátio da empresa.

A pauta das discussões foram os cortes que afetou a vida de todos trabalhadores. Sérgio Luiz Teixeira Gomes, diretor da Companhia, compareceu à assembleia e tentou intimidar os servidores, solicitando o direito de usar o microfone e   restringindo o mesmo dos servidores. Porém, o presidente do Sispmur Rubens Paulo, disse  ao diretor que todos os servidores teriam direito a fala. Sérgio não concordou e saiu da assembleia sob vaia dos servidores.

Sérgio
 Diretor Sérgio saindo vaiado da assembleia

A assembleia foi interrompida e uma comissão de servidores juntamente com o Sindicato foram  até os diretores da Coder, para tentar uma negociação. Mas, a direção da Companhia, questionou a legalidade do acordo coletivo 47.2011, onde ficou pactuado que a Insalubridade e a periculosidade, deve ser paga sobre o salário base. O diretor financeiro Amilton Lobo Rezende, disse que os benefícios deveriam ser pagos sobre o salário mínimo, mas o acordo 47.2011 ressalta que é sobre o salário base. O acordo citado foi formalizado em 28 de setembro de 2011, participaram do texto do mesmo, Coder,Prefeitura e Sindicato com a participação dos Ministério Público do Trabalho.

foto005

Ao final das discussões o Sispmur voltou à se reunir com todos os servidores e ficou definido, o prazo para a direção da Coder é até a próxima quinta-feira dia 08, data da paralisação.

Caso os diretores não revejam as decisões os trabalhadores deverão entrar em greve por tempo indeterminado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui