Servidores sem salários: Funcionários da Coder podem cruzar os braços

0
0

A diretoria  do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rondonópolis (Sispmur), recebeu a informação de que servidores da Companhia De Desenvolvimento de Rondonópolis (Coder), ainda não receberam os salários referente ao mês de janeiro. Alguns servidores já passam dificuldades em casa devido ao atraso do salário. “ A gente tem água e luz pra pagar ,mercado pra fazer e sem dinheiro, como vou manter a minha família?questionou um servidor.

Se o pagamento não for efetivado até na próxima sexta feira, os diretores vão se reunir com os trabalhadores da Coder na próxima sexta-feira(14), e nesta reunião será decido quais as ações o sindicato vai promover para cobrar, que a direção da Coder faça o pagamento aos servidores.

Segundo Rubens Paulo, caso a Companhia não faça o pagamento há probabilidade dos servidores cruzarem os braços, até que a Coder faça o pagamento. “Ta complicado, todos os meses, é uma problema envolvendo a atual administração e os servidores. O Executivo que o servidor acreditou que seria o Prefeito que iria trabalhar em prol de todos está na contra mão dos compromissos de campanha. Vamos sentar com os servidores até sexta-feira (14), e caso a direção da Coder, não resolva a questão dos salários, os trabalhadores podem cruzar os braços na próxima semana. Infelizmente aqui só funciona se o servidor gastar a sola do sapato e sair as ruas pedindo a compreensão da sociedade e mostrando que o Executivo não está fazendo a parte dele. O Sindicato gostaria de estar trabalhando outros projetos, mas estamos aqui para atender e bem os servidores que são os verdadeiro patrimônios deste município. O prazo é até sexta-feira (14).” Disse Rubens Paulo.

Os sindicalistas ainda ressaltam a perda que os servidores da Coder tiveram  junto a esta administração.  Na gestão passada o ex-prefeito Ananias havia readequado a carga horária dos trabalhadores da Companhia, antes eles exerciam uma carga de 44 horas por semana passou a trabalhar 40 horas. Ainda em período eleitoral Percival Muniz, reafirmou o compromisso de oficializar a carga horária de 40 horas/semanal. Depois de eleito o atual Prefeito voltou a trás e hoje os servidores trabalham 44 horas/semana.

Muniz está indo contra tudo aquilo que prometera em campanha eleitoral, e o sindicato vê esse processo com muita preocupação. “ Isso é um retrocesso, hoje, já tramita no Congresso Nacional a redução da carga horária de 44 para 40 horas semanal.Mas infelizmente aqui o Prefeito quer aumentar. Os servidores da Coder, já estavam trabalhando com a  redução há mais de seis meses, e o prefeito Percival, entrou e obrigou a voltar a carga de 44 horas semanal. Isso também será uma luta do sindicato junto aos servidores da Coder. O prazo para a diretoria da Companhia fazer o pagamento é sexta-feira”, finalizou o presidente Rubens Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui